Espaço reservado aos exercícios literários, em verso e prosa, a partir da imagem proposta.

Criadora do Grupo:

Sílvia M. L. Mota

Administradora Moderadora:

Maria Iraci Leal

150 Members
Join Us!

Orientações

1- Nos certames, serão admitidas as formas literárias:

a) VERSO (em sua diversa tipologia);

b) PROSA (em sua diversa tipologia).

Parágrafo primeiro. Será permitida a participação de, no máximo, duas publicações por autor – UMA em verso e UMA em prosa.

Parágrafo segundo. A classificação literária dos textos será rigorosamente examinada pela Criadora do Portal PEAPAZ, em conjunto com a Administração do Grupo Antologia Imagem e Literatura.

*

2- Para participar dos concursos, faz-se necessário, na ordem abaixo:

a) publicar a imagem que anuncia o concurso, no cabeçalho do texto;

b) indicar o título do texto;

c) inserir o texto;

d) inserir o nome do autor;

e) inserir o país do autor.

*

3- Serão eliminados dos certames:

a) os textos dos autores que não exibirem a página do perfil completa;

b) os textos que ignorarem o tema e a imagem propostos;

c) os textos que não se enquadrarem no item 1.

*

4- A classificação dos textos decorrerá do resultado de sufrágio online, aberto aos peapazianos (administradores e membros correspondentes) e aos internautas, de modo geral, que tiverem acesso à página.

Parágrafo primeiro. A votação se fará em duas etapas, de acordo com os formatos literários expostos no item 1 – VERSO e PROSA.

Parágrafo segundo. Serão destacados cinco prêmios (diplomas), assim atribuídos:

a) primeiro lugar;

b) segundo lugar;

c) terceiro lugar;

d) menção honrosa;

e) menção honrosa.

*

5- Prazo no qual transcorrerá o certame:

A ser indicado em cada tópico sugerido pela Administração.

Leiam nossas Antologias Imagem e Literatura em arquivo PDF:

Antologia_Imagem_e_Literatura_n_1_Dia_do_Meio_Ambiente.pdf

Antologia_Imagem_e_Literatura_n_2_Nascimento_do_novo_homem.pdf

Antologia_Imagem_e_Literatura_n_3_Amor_Indio.pdf

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Sinto muito feliz querida Iraci pela sua doce presença. Amei você de volta. Virei sempre que puder. Meu pc trava e cai. Bjus 

    Tongue.gifSmile.gif102.gif77.gif12.gif109.gif24.gif12.gif64.gif111.gif113.gif113.gif113.gif113.gif113.gif

  • Elisa Barth
    País: Argentina
    RENACER
    Muchedumbres , juntos al clamor
    de Mahatma Gandhi , de Sor Teresa de Calcuta,
    de Martin Luther King …
    Unidos levantemos nuestros espíritus,
    bajo la lluvia, bajo la nieve,
    en el desierto.
    Que se desentierre la vanidad
    en los corazones terrenales
    en pos de Navidad
    para regalar bondad, humildad, justicia , paz …
    Cruzando cualquier frontera para renacer,
    ganándole al tiempo en pro de la dignidad,
    renovando los corazones de lajas ,
    aun sobre la arena ardiente.
    Entre el cielo y la tierra
    que se terminen las torturas , las vejaciones
    por falta de conciencia humana,
    en donde la inocencia pierde la excelencia
    por la avaricia del poder ,
    por el afán del oro negro,
    la comercialización bélica.
    Unidos en misión comprometida,
    mientras se eleva una plegaria a Jesús.
    Así ,la llegada de la Navidad
    no queda archivada en el calendario cristiano.
    Elisa Barth. – Argentina.-

  • Elisa Barth
    PAÍS : Argentina

    ROSAS NEGRAS
    Con su embrujo matinal y la suave brisa del amanecer,
    la naturaleza nos da vida pura.
    El exultante verdor de la selva, el trino de los pájaros,
    junto a los arroyos cristalinos me invitan a escribir
    con extraña mixtura, pero con los ojos del alma,
    llenando mis sentidos con la grandeza de Dios.
    Venciendo los secretos de las sombras, bebiendo del pico de la primavera
    en el sendero de la suerte inesperada y su renacimiento en el bosque humano
    que necesita un código de conducta,
    en donde los animales humanos vamos tomando los pasajes
    en el transitar del tiempo y sus fragmentos con la mordaza
    de nuestros pecados terrenales…
    Como para no andar con el alma congelada,
    y no quedarse a la orilla del tiempo
    Murmurando a los fantasmas sin olvidar que todos tenemos
    la invitación de tener un lugar bajo de la tierra ,
    en ese espacio entre las sombras.
    Como poetiza con sus perlas negras en cada lagrima,
    después de haber plasmado las musas
    en el jardín entre sus rosas negras.
    Con los dijes de la amistad a medianoche
    en los escondites más oscuros
    como náufragos llorando lejos de la barca
    para no dejar los versos eternos en las olas del mar,
    junto al viento que borra el tiempo.
    Como un pez sin agua ,sin poder nadar en contra.
    Alejándome de la vida con el alma en el batallar ,
    ya más oscura que la misma tumba
    por no saber escalar las montañas de la vida ,
    desafiando las luces de las tormentas cotidianas.-
    Elisa Barth.
    Argentina.

  • Boa noite queridos amigos poetas!

    Voltando, morri de saudade de todos, de tudo, do nosso portal, da poesia, enfim, meu PC não está cem por cento, mas deu para fazer o trabalho, graças a Deus (ao técnico), vamos ver como se comporta a nova configuração... Amanhã colocarei os diplomas em suas páginas ok? Uma boa noite, bons sonhos, mil beijos MIL.

    3543806896?profile=original

  • 3543758938?profile=original

    Boa noite queridos amigos poetas,
    creio que todos leram a mensagem que diz,
    estarmos excedendo em muito os 10 GB oferecidos pela Ning,
    e por este motivo, possamos ter maiores problemas...
    Conforme a Ning estamos em 39.22 GB (392%) of 10 GB used, portanto, na tentativa de minimizar, estamos diminuindo o número de publicações nos concursos do grupo 'Antologia Imagem e Literatura’
    Já na próxima, a de número 80, pedimos aos poetas que participem com o máximo de 2 (Duas) publicações,
    muito grata, grande beijo para todos, MIL

  • Atenção queridos, ainda temos tempo, é por demais importante, a antologia 79 refere-se á mulher de 'rebozo' branco, cultura mexicana, grata, bjs MIL.

    3543751885?profile=original

  •  Dione Fonseca de Barros 

    Obrigado Dione querida, um grande beijo, MIL.

    3543749084?profile=original

    Página de Dione Fonseca de Barros
    Página de Dione Fonseca de Barros no Poetas e Escritores do Amor e da Paz
  • Querida Iraci reformei meu texto

    obrigada Bjus

  • Atenção queridos, é por demais importante que os trabalhos da antologia 79 se refiram á mulher mexicana e ou ao 'rebozo', característica desta cultura, pois é a inspiração do pintor, estendi o prazo  até 31/05, assim poderão reeditar dentro do tema, grata, beijos MIL.

    3543745151?profile=original

  • Boa noite queridos, consegui entrar, mas trabalhando com muita dificuldade,a página demora para carregar, vou fazendo como posso e, esperando que melhore, grata, bjs MIL.

    3543743658?profile=original

This reply was deleted.

Forum

Perdas e danos (Anoitecer)....

Perdas e danos (Anoitecer)Apesar da fúria assassina que arranca pedaços do peito e ele sangra, jogado no vale das sombras ao intenso sofrimento... Campo de cemitério! Há algo incompreensível (?!) que impõe o renascer, na luz que delicadamente se denuncia na vida que continua, num sorriso, num abraço, e tudo vai se transformando... Viver, morrer, chorar, sorrir, anoitecer, dormir e acordar para o dia, a vida continua, independente de nós, e segundo a vontade de viver e ser feliz, tudo pode…

Saiba mais…
12 respostas

FINITUDE... (Antologia Imagem e Literatura nº 90) (Prosa)

     FINITUDE ...   É Janeiro. Saio para meditar, nesta enorme quietude do entardecer, na silhueta definida das árvores e do som puro dum latido de cão mais a sul!  Tudo se destaca nesta Hora Dei, de penumbra imóvel, por ausência de vento e seca de humidades! Há mais um cão a oeste e mais longe, que responde a outros que pressinto em esparsos latidos! São Cãoversas! Nada mais!    No ar flutua cheiro perfumado de lareiras acesas! O Frio faz-se presente, apesar de,  ou por isso mesmo, as…

Saiba mais…
11 respostas

LALANDE (Antologia Imagem e Literatura nº 90)

LALANDEQuando a noite chega, passeio por ela olhando para o céu.É uma busca insana por vestígios seus. Não sei por quanto tempo a procuro assim, perdido no infinito. E isto é quase um ritual de ansiosa loucura e solidão.Meu coração não sabe mais viver sem sua presença, e sua ausência é uma difícil e latente tortura a minh'alma entristecida e ao meu corpo carente do seu.Notívago, deixo-me levar pelo escuro vazio do momento. Cansado de tanta espera, acredito ver seu rosto desenhado nas estrelas,…

Saiba mais…
11 respostas

Anoitecer (Antologia Imagem e Literatura nº 90)

Obra: Anoitecer           AnochecerAutor: Morgan DavidsonEscola: Realismo.                        O   AnoitecerAs encostas que sobem para o norte ensombram-se de arvoredo.A primavera resplandece à aproximação do estio. As flores agrestes desabrocham pelo barranco e dos fundos grotões sente-se o perfume dos lírios.Os louros trigais nas baixadas parecem ondas a brincar com o sopro da brisa.No  meio da tarde o rei sol prepara o caminho para o poente. Ele já percorreu grandes espaços, deu vida a…

Saiba mais…
4 respostas

Photos