TRISTE PARTIDA

3542347110?profile=original

 

 

Terra seca, rachada sem a chuva,

Remoendo a tristeza no sertão,

Incendeia o coração de amargura,

Sem saber como será o amanhã,

Triste o sertanejo pensa em partir

Embalando o sonho de viver em outro chão.

 

Parte, com a família, pra São Paulo,

A metrópole de riqueza e ilusão.

Rude, o caboclo subjugado,

Trabalha, sol a sol, na escravidão,

Imposta por cruel necessidade

De sustentar família em precisão,

Afaga sempre o sonho do retorno.

 

Acróstico inspirado na bela poesia Triste Partida, hino-símbolo dos migrantes nordestinos em épocas de grande estiagem e exploração do latifúndio. Antonio Gonçalves da Silva, O Patativa do Assaré, seu autor, nascido na Cidade de Assaré-Ceará-Brasil, foi um poeta popular telúrico, compositor, cantor, repentista, semi-analfabeto, trabalhador rural, escreveu mais de dez livros de poesia, recebeu vários títulos de Doutor Honoris Causa de Universidades do Nordeste, foi objeto de dissertações de mestrado, teses de doutorado e estudado na Sorbonne. Triste Partida foi imortalizada na voz de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.

 

Manoel Fonsêca - Brasil

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    Manoel Dias da Fonsêca Neto

    Belíssimo acróstico,

    uma homenagem á luta do nordestino,

    encantada, parabéns Manoel, bjs MIL.

    Página de Manoel Dias da Fonsêca Neto
    Página de Manoel Dias da Fonsêca Neto no Poetas e Escritores do Amor e da Paz
    • Maria Iraci,

      Obrigado pelo incentivo e pela oportunidade de admirar este belo e significativo vídeo.

      Saudações

  • Manoel, muito, mas muito bom o teu Acróstico.

    Conteúdo marcante, feliz construção poética em ritmo e cadência!

    Parabéns, poeta! Bjs

This reply was deleted.