Mensagens de Blog

Todos os posts (467)

POESIAS CANUDADAS...

POESIAS CANUDADAS...

 

 

Determinado estava à procura da pena

para lançar numa página,

uma poesia que te fizesse entreabrir os teus lábios aos poucos,

para florescer um sorriso coberto de ternura...

Não encontrei...

Mesmo rabiscando palavras com a mente,

Não...

Fatigado de tantas tentativas,

conversei com o meu eu,

e participei a ele a minha conclusão de que

sinto-me cansado de juntar letras,

e formar as minhas loucas escritas...

Esta é a realidade.

Sinto-me cansado de versar vorazmente sobre tudo,

sobre coisas, qualquer das coisas...

Senti um alivio interior com essa decisão,

uma sensação de liberdade,

liberdade de não ser obrigado a escrever,

escrever e escrever...

E pensei em te convidar para um fim de tarde,

sentarmos numa mesa de um bar de beira de praia,

de qualquer praia,

de qualquer lugar,

com qualquer tempo...

Só e somente para conversarmos sobre poesia,

tu rabiscando as palavras que eu ditasse,

eu rapidamente escrevendo os versos que tu pensasses,

fluindo da tua mente em fantasia...

E as horas passariam lentamente,

porque sabiam que estávamos falando sobre poesias,

escrevendo versos vindos do profundo da mente,

e poderíamos passar ali dias e dias...

Imaginaríamos e escreveríamos poesias transcendentes,

eloquentes, inteligentes, diferentes das já vindas, adormecidas e intermitentes...

Ahhh..., como bem-vindas seriam as palavras versadas,

deitadas para serem carinhosamente adormecidas,

e quando o sol mergulhasse no abismo do Grandão,

todas as folhas poéticas seriam enroladas canudadamente,

escondidas e arrolhadas

numa garrafa de uma excêntrica e especialíssima bebida volátil,

aromatizada com um tipo de fragância jamais olfatada,

sentida ou mesmo imaginada pela mais experiente mente humana;

e sorriríamos até que alcançássemos gargalhadas às escâncaras;

e caminharíamos em direção à praia,

e mergulharíamos até o mais profundo,

e quando o ar estivesse nos faltando aos pulmões,

daríamos liberdade às folhas canudadas engarrafadas,

e retornaríamos à tona do Grandão;

nadaríamos até a praia sem querer imaginar para qual direção

seguiriam as poesias canudadas...

Atentem!...

Se algum dia alguém encontrar,

duas garrafas ao sabor das ondas de qualquer mar,

corra, mergulhe, pegue-as, abrace-as, guarde-as...

Mas não desarrolhem, o conteúdo é apenas poesia...

Nada mais que poesias...

 

Saiba mais…

PALAVRAS...

 


Um fim de tarde de meio-inverno.

Calçadas úmidas marcadas por passos apressados.

Passantes mais que apressados,

e a garoa fina que tomava corpo...

 

Também eu, para deitar uma escrita,

com a vista acelerada cato um canto numa wiskeria,

para libertar da mente algumas palavras que se apresentaram,

e nada melhor que algumas doses de Cointreau...

 

Ambiente calmo,

o pianista mandava uma das tantas do BB King,

casais contidos, outros invertidos,

e uma mesa distante com dois lugares livres...

 

Bom!... Muito bom... Acomodei-me...

Da mochila retirei um bloco de notas,

desliguei o celo para desligar-me,

Tirei a caneta e...


Travei !!...

 

Ela usava um chapéu de feltro tipo Fedora ou Borsalino;

jaqueta aberta mostrando, a blusa de seda;

parecia calçar botas meio-cano,

talvez uma legging (ahhhh...) escura...


Um tipo de mulher elegante,

que mesmo acompanhada, deve ser observada nos detalhes.

Precavido, resolvi aguardar alguns minutos, se “alguém”,

estaria no comando daquela raridade...

 

Cabisbaixa, entretida com o que parecia ser um caderno;

da face, apenas um lindo meio-rosto a descoberto pelo chapéu...

Traços finos, lábios carnudos, queixo firme;

e a cor dos olhos?!... (é querer demais!...)

 

Loucura noturna e nublada!...

Esqueci até das palavras que clamavam por liberdade...

 

O melhor que faço é pedir uma “caipivodk” e prestar atenção,

na romântica do Benito de Paula,

que o pianista está mandando

e depois pegar o buzão!...

 

Essa descoberta, um tanto pecaminosa,

bem que poderia ser num barzinho a descoberto

na Champs-Elysées!

Descompromissada... Vulnerável... Sedenta...


C’est La Vie ?...

Melhor esquecer...

 

Saiba mais…
Top BA_Belas

Romântico, assim sou eu_Sidnei Piedade

Sabe...sou um cara que ama demais, as vezes incompreendido , mas assim sou eu , onde meu amor é puro e verdadeiro. Sou da terra, lua e mar...do sol onde em seu brilho sempre quero estar...o amor girando em torno da sua vida divulgando minha doutrina...pois meu mundo é hoje e não amanhã. Sou a magia, o néctar onde o mistério nem a razão domina , voo bem alto por cima de todos os obstáculos...não tenho asas, mas a coragem para lutar e buscar meus objetivos, conseguir aquilo que almejo. Atravesso fronteiras interpretando a realidade com minhas mensagens universais...amor e paz. Sou poema que ri e chora, esperança na arca reconstruída remando meus beijos até chegar no porto do seu mar. De norte a sul  sou como o arco íris num colar de cores enfeitando o céu anunciando que o amor chegou...onde nem a ciência é capaz de explicar...um romântico, assim sou eu.                                                                                                    Romântico...assim sou eu_Texto_Sidnei Piedade

 

Saiba mais…

CRIAÇÃO

Que vontade de criar

Um poema com ternura.

Procurar no verbo amar,

Terminar com essa tortura.

Um amar universal sem falsidade,

Cunhar na pedra bruta um nome,

Quem sabe ensinar a felicidade,

com data de nascimento e sobrenome.

As palavras já fenecem cedo,

Ficam os falares sem respostas,

Sem alianças nos dedos,

E almas sendo expostas.

 

Saiba mais…

MISCELÂNIA...

 

 

Na serra, café puro com torradas e queijo branco.

No litoral, pão na chapa com queijo prato.

Europ e North America,

Não sei se sei...

 

Penso em perguntar qual a cor dos olhos dela,

porque quando olho não defino porque ficou

na lembrança aquela camisolinha vermelha,

que no sofá  foi arrancada e rasgada obedecendo ao ímpeto!!...

 

Ela é uma mistura de todas as raças,

veste-se com graça tal qual uma canadense;

deveria morar aqui bem perto do meu quarteirão,

e ter um jeep americano prá gente ir na praia...

 

Não faz tempo,

vi uma foto que ela usava uma jaqueta jeens,

talvez estilo texano ou portorriqueño;

com os meigos cabelos pousados sobre ela...

 

Se essa crise não se for,

precisarei estar em Las Vegas,

arriscar algumas fichas nos dados,

para convidá-la para um lanche casual...

 

(Tudo isso por causa de uma cor??!!...)

 

Saiba mais…

VIVENDO CADA MOMENTO...

 

 

Se eu soubesse,

escreveria um poema dizendo-te

quase tudo que te agrada,

no momento...

 

Feito para o presente,

um pretérito imperfeito,

para um futuro impulsivo;

mas não sei...

 

Se houvesse uma mensagem qualquer,

guardada em algum labirinto,

encontraria e a decifraria,

para que ela acalentasse o teu ego sedento...

 

Tenho certeza que esta mensagem agradaria a ti,

ao teu Ser,

ao teu Eu,

e acalentaria a tua calma...

 

Ah!... se eu soubesse...

 

Nada sei de ti, nem de onde viestes,

pouco menos para onde quer ir;

mas de repente sensibilizou a mente deste andróide,

pacífico observador de muitos Halleys,

consciente e satisfeito com o seu quinhão...

 

Catador de letras que persegue a vida,

nesta trajetória infinda,

entediada por um tanto de seres opacos e mal iluminados,

que transitam por este planeta cobaia...

 

Ou será mesmo uma vida poética fantasiada,

pelo esplendor positivista,

aflorante nesta minha mente sedenta

de inimagináveis acontecimentos outros?...

 

Ah!... se eu soubesse...

 

Em não sabendo!...

 

Segreda-me:

qual a cor do teu vestido de agora;

o corte e o vislumbre dos teus cabelos para este início de outono;

e as cores atrevidas dos batons que pousarão nos teus lábios?!...

 

E o estilo do conjunto?

Sem conjunto!!!???...

 

Saiba mais…

Aquellos Besos del Ayer

 

Si por besarte no más

anclé mi boca en tu puerto

desembarcando caricias

que caminaron tu cielo.

Fui a recorrer tus playas

y visité tus acantilados

contemplando con mi mirada

el camino de esos labios.

Encendí  tus agrestes costas

al caminar  tus deseos,

tu río se hizo mar

y me zambullí a lo profundo de tu lecho.

 

 

Mis Besos De Hoy

 

Como la flor de Irupé

que crece costeando el río     

y ese tierno camalote

que viaja corriente abajo.

En cristalinas mieles

te recorren mis besos

y van dejando el dulce

que se desprende de mis labios.

Son mis mañanas en tus noches

claros reflejos de amor,

en tu mirada inocente

se encienden lujuria y pasión.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Promesa de Besos

 

Te seguiré besando

hasta que el oleaje de tu mirada

me indique, que por el canal de esos ojos

voy a la desembocadura.

No detendré mis labios

en las ramblas de tus mejillas

sino en  embalse de tus pechos

donde mi boca remará en caricias.

A tu vientre sagrado puerto

es donde arribará mi sonrisa,

un cargamento de gemidos tiernos

robaré en licores de espumas.

 

 Elìas Almada

 

 

 
Saiba mais…

DEUSAS...

 

 

Preciso esconder a minha mente,

do meu hipertenso cérebro latente;

necessito lançar os meus versos em água corrente,

ninguém a ver-me pode estar, ou ficar indefinidamente...

 

Se eu soubesse e poder tivesse,

uma poesia faria dizendo tudo o que ainda não aprendi,

mesmo que de tudo ainda não soubesse,

e que nem de tudo vi...

 

Ah!...,

bom seria deitar-me ao colo de Deméter,

ouvir a voz penetrante de Perséfome,

entregar todas as minhas necessidades para Anamke,

que em seguida entregaria à intelectualidade de Atena,

e Artemis, me ensinaria a guerrear inteligentemente,

sem antes filosofar espiritualmente com Héstia...

 

Ah!..., bom seria, sim!...

 

Definitivamente, acreditem,

velozmente fugiria do olhar sedutor de Afrodite,

sem notícias querer saber do lugar aonde ela respira,

e qual perfume seus poros transpira...

 

O vento traz um solfejar feminino,

uma canção atraente e sedutora,

imensa sombra que toma conta do meu espaço iluminado,

talvez seja...

 

Hera!!!

 

Por que não te afastas das minhas andanças?

Teimas em estar presente constante!

Por que não deitas o ciúme que contigo caminha em relva seca,

e cale esse sorriso envolvente e transbordante?

 

Brahayani, empreste-me um tanto da tua inteligência,

Asokayanta, afasta de mim os mil desejos,

Aparajita, assopre para bem longe os maus,

fluidos...

 

Necessito...

Versar aos olhos sorridentes de deusas?!

Necessito?!...

Saiba mais…

sonho que o dia sustém...

 

 

a lucidez sempre te interroga...
porquê esse vôo até ao obscuro?
porquê esse abismo inesperado
essa inquietude...que é fogo
esse contar de rugas novas...
deixa que te acompanhe a formosura do vento,
a ternura do correr das fontes azuis,
a verdade dos sonhos.
nas trovas,
despoja tudo o que é dor,
e deixa-te levar num passo doce
com olhos de criança
como se ontem, ainda hoje fosse.

abre as pétalas vermelhas do sorriso

retira os olhos da penumbra
deixa ver o verdor desses gerâneos
trazes a esperança delapidada
acalma a ânsia desolada
atreve-te a sonhar,
avança um pouco mais
e deixa a tristeza nos umbrais
deste poema...

natalia nuno

 
Saiba mais…
Top BA_Belas

Uma chama

Uma chama

Tenho a idade do ferro e do fogo
E deles quero manter a chama
Meu Senhor trago-Te no âmago
Meu coração e alma muito Te ama.

Sou ferro e fogo incandescente
Sempre aceso em rubras brasas
Meu amor por Ti Senhor é ardente
Ensina-me a voar e fortalece minhas asas.

Viver fascina-me, me apaixona e inebria
Mas é preciso entusiasmo e alegria
Para evitar que a vida se torne sombria.

A minha vida é uma simples história
Sou Maria sem vitória, e nem glória
Vou guardando tudo na memória.

14-04-2018
Maria Silvéria dos Mártires

Saiba mais…

DIÁLOGO...

 

 

- Binha!!...

. Sim...

- Quero te fazer um convite para uma viagem...

. Onde, muito longe?...

- Um pouco, mas, não se preocupe, logo chegaremos.

. E a finalidade desta viagem rápida qual seria?...

- Preciso visitar um amigo poeta, estou adiando essa visita faz algum tempo...

. Ah!..., aquele poeta solitário?... Você e essa mania de querer saber o que pensam, escrevem e fazem, os poetas...

- Já faz algum tempo que acompanho suas escritas e gosto delas e dele...

. Tudo bem, vamos...

- Estou preocupado, não sei o por que desta ausência tão longa para postar suas poesias...

(...)

 - Chegamos!... Cansada?...

 . Um pouco...

 - É ali, naquela janela com um vaso de flores de cor lilás pousado no mármore... A janela está aberta, ele está no escritório...

Vamos aguardar... A máquina está ligada e ele não deve demorar, pode ser que esteja fazendo um lanche...

 (...)

 - Veja!..., É ele!... Agora ele vai passar um bom tempo olhando para aquela tela azul, depois disso, os seus dedos ágeis iniciam uma viagem poética... Sempre, fico imaginando o que ele escreve; o tema, o motivo, essa necessidade de escrever que o poeta sente... Vamos mergulhar em direção ao mármore da janela, talvez consigamos ler alguma coisa escrita por ele?...

 . E não se importará, se nos pegar lendo os seus escritos?...

 - Não se preocupe..., o que satisfaz a emoção do poeta é saber que são lidos, aplaudidos, censurados, opinados, rasgadas as suas páginas...; dizem que o mais excitante para eles é terminar rapidamente uma página para logo em seguida iniciar outra, e mais outras..., esquecendo por completo a primeira poesia rabiscada...

 . Consegues ler alguma coisa?...

 - Apenas algumas palavras...

 . Quais, você identificou?...

 - Poucas, e mais alguns artigos indefinidos, contrações, preposições, verbos, e reticências...

 . O que será que ele quer dizer com tantas reticências?!

 - Também me pergunto todas as vezes que venho até aqui para visitá-lo...

 . E por que você não pergunta diretamente ao poeta o que ele quer dizer com tantas reticências?!

 - Pensas que sou louco, perguntar ao poeta o que ele quer dizer com as suas reticências?!...

 . Então de que adiantou viajar de tão longe e não saber realmente o que ele escreveu?...

 - Quer saber mesmo?...

 . Por favor, satisfaça a minha curiosidade feminina..., responda...

 - Guarde na tua mente para não esquecer, este segredo...

- Basta que o poeta esteja pensando, o conteúdo não importa, entendeu?...

 . Não satisfez a minha curiosidade!...

 - Posso explicar melhor...

 . Não..., não quero... Prefiro retornarmos para as nossas árvores, para os nossos muros,

para os lugares mais altos e ficarmos alí...,

sem querer imaginar o que os poetas escrevem, pensam, fazem e sei lá mais o quê!...

 - Se você quer assim..., vamos...

 

(*) BINHA = Tratamento carinhoso que os pombos machos tratam as suas pomBINHAs...

 

Saiba mais…
Top BA_Belas

Letras e palavras

Letras, palavras

Com letras formo palavras
De duas, três, ou mais silabas.
Escrevo rosa brava e amoras,
pretas,e vermelhas que desbravas,
com tuas mãos que ficam pintadas.
E o suco bom que elas vertem
tem sabor a limão adocicado.
E a sua pele fina de brocado
É enfeite de toucado
Para noivos enamorados.
Que todo o bem sempre caiba
Onde a música nunca acaba.
Com letras formo palavras
Que lanço à terra que lavras.
E que os seus frutos rompam
E por todo o lado brotem
Que em toda a terra se espalhem
Para que todos os males se dissipam.
Que brilhem no céu limpo sem nuvem
E do sol raios de fios dourados se soltem,
Lindas margaridas, violetas e camélias
Para alegrarem todas as famílias,
As quais quero encher de pérolas
De safiras, madrepérola e esmeraldas.
Cantos de aves, de pardais e rouxinóis
De sons lindos, e das graciosas rolas
e de magia, milagres e encantos de fadas
Que nos tragam muita luz e sejam faróis
A iluminar o caminho, onde haja girassóis.
E com as letras –A –M-O- R formo a palavra Amor.
E com ela cubro a terra, o mar e o céu
E agradeço a Deus Divino e Senhor
Pela vida e por tudo o que me dá e deu.
Que tudo o que há de bom seja meu e teu.
09-04-2018
Maria Silvéria dos Mártires

Saiba mais…

INTENÇÕES...

 

 

A intenção de esculpir o teu corpo,

permanece...

 

Pena que ainda não encontrei o lugar,

no qual,

adormece a argila perfeita...

 

O que sei é que esta matéria natural é mesclada

das cores do encanto,

incandescente,

e ainda não vista pelos olhos (de)mentes sedutores...

 

E quando encontrar,

te esculpirei linda,

majestosa,

excepcionalmente bela...

 

Os contornos do teu corpo,

receberão o contato dos meus dedos,

e todas as tuas alternâncias por eles serão modeladas,

exaltadas...

 

Preocupa-me vestir-te!...

 

Para que olhos levianos não se permitam,

e as mentes invejosas anuviem-se.

Que adormeçam,

sem que imaginem o tecido do vestido que cobrirá o teu corpo...

 

Preocupa-me também o lugar que te deixarei...

 

Num vale,

numa montanha,

numa floresta,

numa praia!?...

 

Sim...,

exposta para que os olhos do mundo vejam e sintam,

a expressão do teu corpo sedutor,

a beleza rara dos teus cabelos,

o sorriso dos teus olhos,

o róseo dos teus lábios,

e o impressionismo do teu singular encanto...

 

E  finalmente,

a paz retornará à minha mente...

 

Saiba mais…