Vivo o silêncio de você...

 
 
Vivo o silêncio  de você...
 
Olhar cravado no infinito
vazio da parede nua
vivo o silêncio de você.
Nesse parto de solidão,
não há dor ou lágrima.
Tomo sua  mão envelhecida,
afago seu cabelo grisalho,
beijo sua boca ardente,
abraço seu abraço terno.
 
Não há queixa na voz
que chama seu nome no escuro.
Há apenas esse ardor amante
de ser agora e sempre,
de ser a primeira novamente:
de ser amarca de seu traço,
o passo do seu caminho;
de ser o desejo forte
que afoga meu peito
 
Olhar cravado no impoderável
silêncio da parede nua,
meu peito seu apoio,
meu braço seu amparo,
seu abandono
minha esperança
 
Não exatamente perdida
mas desgarrada
de razões,
motivos,
alentos...
vivo o silêncio de você!
 
Ciducha Seefelder
 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • Muito bonito Ciducha. O silêncio também se vive.

    PARABÉNS!

    • Obrigada querida

      Fiquei feliz

      Beijosssssssssss

  • This reply was deleted.
    • Obrigada poeta amigo JR

      Fico feliz e vaidosa com seu parecer

      Beijossssssssss

  • Muito bom!... Nessa linha poética, você é imbatível... Abraço.

    • Obrigada pelo carinho poeta

      Fiquei feliz e vaidosa

      Bjss

  • Você é uma poetisa e tanto.

    • Obrigada queridapelo carinho...sou não...apenas uma aprendiz de poeta que escreve meus sentimentos sem regras,metricas etc...rsrs

      Beijos muitossssssssssss

    • Obrigada pelo carinho,poeta querido

      Bjssssssssssssss

  • TOP BABPEAPAZ

    "Não exatamente perdida

    mas desgarrada..."  Versos que justificam todo o poema, com o final perfeito!

    Beijo

This reply was deleted.