SONETO DO SONHADOR

 
Deitado em minha cama, viajei...
em um sonho quase que real
Talvez meu espírito, não sei
desencarnou, algo paranormal
 
E neste devaneio eu era rei
num reino onde existia bons e maus
no qual batalhas sangrentas travei
implantando o que é celestial
 
descepei a cabeça da corrupção
enforquei a maldita ambição
de uma classe que tornou-se vil.
 
Sem Presidente... Vereador...
Passou a reinar a lei do Senhor.
Quem dera esse reino fosse o Brasil!
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.