RÉQUIEM AO GUERREIRO

Após muitos anos fazendo o que sei de melhor

Travando combates com enorme furor

Sentindo o sangue, nas veias, ardendo

O coração vibrando e o espírito crescendo

Chegou minha hora …, a batalha final

Já foi travada e não há vencido nem vencedor

Subo em minha montaria

Trajando minha veste de combate

E cavalgo em direção ao Valhala

Onde treze Valquírias orgulhosas

A minha espera, estarão

Com seus lindos seios explodindo

Nas suas túnicas de couro rijo

Seus longos cabelos cor de ouro

Presos em tranças fulgurantes

Serão o mais lindo ornamento

Para seus corpos insinuantes.

Com seus sorrisos iluminados

Elas cavalgarão ao meu lado

Conduzindo na direção

Do Grande Salão

Onde guerreiros ancestrais

Perfilados, me aguardarão.

Apreciaremos um banquete

Farto e sem igual

Apenas eu, mais um comensal

Serei saudado por meus pares

Guerreiros corajosos como eu

Reinam absolutos em seus lares

Onde seus fiéis descendentes

Cumprirão a sina eterna

De manter acesa a chama

Que seus corações inflama

Seus espíritos conclama

Para a batalha final

O Ragnarok

Onde ombrearemos

Com o próprio Odin

Ao lado de seu predileto

Thor, deus do Trovão

Prontos para um último

Mas poderoso embate

Onde infiéis sucumbirão

Vencidos pelo bom combate

E a nós restará renascer

Das cinzas, prontos e aptos

A lutar e a vencer!

3918769668?profile=RESIZE_710x

(By Antonio Trovão)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Antonio de Jesus Trovão

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.