Mensagens de Blog

preciso de quase nada

Preciso de quase nada

 

Nesta espinhosa e feliz jornada;  preciso de quase nada.

Levantar cedo, se preciso, porém,  evito as madrugadas.

Creio  que,  neste sentido se aplica a  desejada felicidade.

Simples assim,  ser feliz foi única boa escolha  que eu fiz,

vou  mais longe;  pra um velhote ao qual  dispensa idade

adotei  logo  a  simplicidade  da velha sensatez, eis  o xis

da  antiga  questão, comerei  feliz no simples prato  raso

carne  de pato,  ou saboroso  arroz e feijão e que  arraso

se lá tiver  vinho,  moqueca de camarão. E por que não

meu  bom  vizinho, não  pense que  vivo a comer sozi-

nho,  não, a ninguém  espezinho tendo esta mortal

condição.  Quando  não,  meus  netos,  filhos,

irmãos, e sobrinhos. Na realidade tenho

a  liberdade  quando estou  sozi-

nho.  Bem, meu  irmão,

tenho  por fiel

compa-

nhe-

ira

a  

so

li

dão

a do-

na do

meu en-

canecido

coração!  As

minhas   vestes?

Que tolice, há  muito

já lhe disse: Uso uma peça

por  vez, no meu  carro, apenas

um  assento, e  no meu pé direito,  eis

o mesmo sapato outra vez. Eis o belo teste de

lucidez. na pureza singela à vida vívido-vivida em

rosa-amarelo.  Brindemos com essa taça à nossa raça.

 

Ah...   Aqui se encerra toda a sábia filosofia,

na  geografia desta  bela existência na qual

vivemos  sem transparência  da simplici-

dade  da divina  sabedoria, sendo que

a  veraz  felicidade  se encontra  no

coração de qualquer idade de a-z.

Ei-la:   Grande  sabedoria  que

os sábios jamais saboreiam,

vivendo  alheios  em  seus

devaneios,  onde  seus  o-

lhos não veem em busca

das glórias  que se aca-

bam  aqui,  sapiências

quais ficam pra  histó-

ria  já  há muito conhe

cida, porém,  por poucos

apreendidas. Seja rico, seja  pobre, seja humano,

seja tudo, seja  nada, quando for quase tudo

isso, ao  menos terá  vivido a vida,  terá

aprendido   a   antiga  maneira   fabu-

losa de bem-viver. Comece  agora,

sendo humilde pra  essas práti-

cas exercer. O seu erro pode

estar ao se comparar com

seu vizinho, pois, ainda

não aprendeu a andar

sozinho  nesta clara solidão, cuja  negritude

está  na  cabeça  pobre  e podre  do racista

qual  não se  põe  na  lista  de  pobre-no-

bres  mortais  a fazer distinção  de co-

res  de seu  espectro  de solidão  in-

sólita.  Ao ir, quiçá,  volte jamais.

 

Sucesso nesse mais alto empreendimento de sua vida!

 

Seja feliz!

 

 
 
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

  • OURO BABPEAPAZ

    Eu também preciso de quase nada. Se possível for LUCIDEZ sempre.

    Adorável leitura. Parabéns JBCampos por proporcionar alegria e prazer aos leitores, além de boa orientação.

    •  

      Grato, querida pela sua generosa

      posição a qual enche de paz

      este humilde coração.

      Bjs.

  • Uau!

    Quanta sabedoria de vida em teus versos poeta!

    parabéns!

    Abração com carinho

    •  

      Grato querida Elza Zerbatto a quem fico mui grato,

      pela  suas generosas palavras  sobre  essa

      humilde  lavra e; que  o  seu sol solar

      continue   a  iluminar   o   seu

      caminho,  seu  ninho,

      seu divino lar!

      bjs.

  • BRONZE BABPEAPAZ

    50429144?profile=original

  • DIAMANTE BABPEAPAZ

    images?q=tbn:ANd9GcTxfo1ZdREhRJgX5AdAh4YXK-dI73txEpLd6OeerKE9V0kCRfkzXw

    • 101.gif Grato Patrizia. Tenha uma ótima semana.

      bjs.

This reply was deleted.