O RIO DO AMOR

No rio do amor

Fisguei o meu maior

Peixe que foi você.

 

Sentei a margem do rio

E vi calmamente o rio passar,

Com tuas águas cristalinas

Em seu eterno caminhar

Em busca de teu amor maior

Que é o encontro com o mar.

 

Seu leito às vezes parece

Que esta sem água,

Mas como o amor ele segue

Bem devagar, calmo,

Para poder descansar

Nos braços de teu amor.

 

Ali naquelas águas

Deste rio que passa devagar,

Calmamente e tranquilo

Descobri que o amor

É muito fundamental em

Nossas vidas pois através

Deste amor sentimos que

Nossas energias são carregadas

Por palavras, abraços e beijos.

 

Pois assim como nasce um rio,

Nasce o nosso amor

Num simples primeiro amor

Que nunca se esquece desta

Data que tanto significa em

Nossa vida a tão chegada do amor.

 

E como se diz nesta vida,

Quanto mais se tem,

Mais temos condições de dar,

Assim é o amor pois quem

Tem muito amor dentro

Do coração tem facilidade

De doar um pouco para

Quem nunca teve.

 

Comendador Marcus Rios

Poeta Iunense - Acadêmico -

Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas