O AMOR

Amor é privilegio de

Muitos poucos nestes

Dias atuais em que vivemos.

 

O amor é somente

O ganho que não era previsto,

O premio que conquistamos

Juntos num lindo concurso de dança.

 

E apenas uma leitura

Silenciosa, calma e emocionante.

 

Às vezes és como o relâmpago

Que lança as tuas rajadas

Que nem mesmo os

Mais antigos físicos

Tem como decifrar o

Relâmpago assim é o amor.

 

Que não se sabe explicar

Quando ele chega e como

Vai ser este amor em

Cada vida que se estabelece.

 

O amor é simples,

Apenas se aprende

Em cada limite,

Em cada carinho,

Em cada emoção.

 

O amor para uns começa tarde,

Mas isto não significa nada,

Por ele estar começando tarde,

Pois às vezes quando chega no

Coração da pessoa mais madura

Ai sim ele vai viver intensamente

Cada segundo de emoção.

 

Para outros o amor começa

Cedo demais, ai e que mora,

O perigo, pois nunca vai,

Seguir em frente este amor

Que começa cedo,

Talvez uns vinguem,

Mas muitos não vingarão.

 

Serão como milhares de

Tartarugas que nascem e correm

Para a imensidão do mar,

Para poder travar a mais linda

Das lutas pela sobrevivência,

Assim é o amor dos mais novos,

Os amores que nascem cedo demais,

Viverão, lutarão, mas poucos vencerão.

 

 

Comendador Marcus Rios

Poeta Iunense - Acadêmico -

Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)

Membro Efetivo da Academia Marataizenses de Letras

Embaixador da Paz

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.