NOITE SEM AMOR

Amor,

É noite que pouco a pouco

Devagarinho vai morrendo

No alto da montanha

E eu aqui no meu canto

Estou como um solitário

Que vaga dentro desta

Noite na escuridão

Sempre acordado

De olhos bem abertos

A meditar e pensar em você,

E apenas a esperar por você

Sou eu somente eu meu amor.

 

Amor,

Sou eu que me pego

Conversando somente comigo

Nas minhas noites sem amor,

Que deixa apenas uma lágrima rolar.

 

Amor,

Sou eu que pensa, recorda,

E vê ilusões, sonhos, fantasias,

Sentindo um pouco desta noite

Recordando tudo em volta,

Os momentos felizes que

Junto nos dois passou

Sou eu apenas que espero

Na esperança de um dia

Ver-te novamente meu amor

Nas minhas noites sem amor.

 

Comendador Marcus Rios

Poeta Iunense - Acadêmico -

Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas