PRATA BABPEAPAZ

No galope do vento

 
 
 
 
6210145299?profile=RESIZE_400xNo cerrado goiano cavalgo
estrada depois de estrada
em ritmada cadência.
 
Solto a rédia, abro os braços,
dou-me ao vento sem tempo 
passado ou destino galopo
 ...sem bridão em desatino.
 
Nas estradas que percorro vou
cortando trilhas na dianteira.
Levo o Araguaia solitário
às minhas costas, com
 ipês floreando minha carreira...
 
Solto o cabresto sem medo
e galopo a vida com esporas.
Driblo o tempo na tarde inzoneira
que mansa, rebuça meu trote
golpeando meu peito mudo
De saudade ribeira...
 
Marcia Portella_Go
Imagem_Web
(8 de maio de 2014)
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.