Mensagens de Blog

Poetisa e Escritora

Não leiam!

Este poema não é para ser lido

Tem mais do que direitos de autor
É o submundo da minha alma
A vergonha do meu egocentrismo
Concebo-o eu, trago-o à luz
Para depois o meter numa gaveta
Fechada com o cadeado da indecisão

Não sei se o torne público
Ou o preserve da minha insanidade
Há nele uma castidade impune

Gravito em torno da minha essência
De mim não espero clemência
Nem aceito julgamentos
O veredicto assim mesmo
Alheio ao meu egoísmo
Decretou-me imunidade
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.