Mensagens de Blog

Irrefutável alvitrar

Irrefutável alvitrar

Que fazer se ele tinha predileção por estar enclausurado,
Acorrentado,
Trancafiado em seus recônditos porões?
Afinal o que falar se era praticamente impenetrável,
Inacessível,
Imponderável que aparentava,
Canto obscurecido no qual prevalecia o breu... Intenso e enigmático breu?

Havia que ter um jeito,
De roubar um sorriso que fosse,
De desatravancar um milímetro qualquer a barricada,
Afrouxar os nós das duras amarras,
Permitir,
Conceder,
Destravar...

Aquelas imensuráveis e quase permanentes trincheiras não nasceram ali,
Não tinham estado sempre erigidas.
De certo que não...
Quiçá nos primórdios,
Houve, ainda que anteriormente um fugaz consentimento,
E então eis que sucedeu um COM_sentimento,
“En passant”, mas existiu...

Razão para não desistir,
Buscar diluir,
Amaciar,
Amolecer,
Quebrar gelos,
Faze-lo feliz, fazer jus ao que realmente é,
A singularidade da sua existência,
A pluralidade de seus indescritíveis sentimentos...

È carnaval,
Passam foliões nessa rua que se colore de serpentinas, em tons de arco-íris,
Pleno carnaval,
Fantasiar, fazer festa, folia,
Folguedos,
Colombinas e Pierrôs confraternizam risos e lágrimas,
Deixar o jejum para depois,
Para isso tem a quarta-feira.

Vai! Sai daí,
Olha lá, as máscaras, as alegorias, adereços...
Música,
Desembaraça o olhar,
Retira as algemas imaginárias que te impões...
Roga perdões a ti mesmo por tanto procrastinar...
Muda de vez esse trágico enredo,
É carnaval...
Afinal...

Pede arrego de ti mesmo,
“Bandeira Branca”
Rendição!
Um dia que seja sem trincheiras,
Deixa os escaninhos que te povoam...
Roubam teu verdadeiro sentido,
Tu,
Somente tu és quem pode te conceder o ir e vir.

Denuncia-te a ti mesmo,
Escapa de toda ameaça que te lacra a fala,
Vai
Se livre,
Coração...
Oferta-te um agrado,
Uma ode a tua própria obra, biografia.

Tu és o teu carrasco,
E o único quem vai te alforriar,
Ou te salvaguardar com um Habeas-Corpus...

Escolhe coração...
Elege por onde queres trilhar...

Correntes ou asas... ?????

Este texto faz parte do Exercício Criativo - Habeas Corpus
Saiba mais, conheça os outros textos: http://encantodasletras.50webs.com/habeascorpus.htm

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.