PRATA BABPEAPAZ

Águas de setembro

 

No palco da Natureza

Uma sinfonia de seres

prepara-se para abrir o

espetáculo da primavera
.
A rosa enredou-se entre o muro,
A compor uma nova alegoria,
As folhas reverdecem
Cai a tarde, a hora da saudade.
 
Surge errante a lua no horizonte.
Sapos coaxam e grilos cricrilam.
Uma aragem de flores e plumas chegam devagar.
Setembro corre veloz e anuncia a chegada de nova estação.
 
Os brotos voltam a reverdecer, como as nossas esperanças de um mundo mais feliz que temos que reconstruir.
As flores reabrem mostrando-nos belos coloridos, embora suas vidas sejam curtas, nao negam-nos sua beleza, viço e perfume.
Já ouviste o canto de uma flor quando oferece generosamente suas pétalas, suas cores e seu perfume?
O beija-flor bailando vem visitá-las e passa o pólen para as demais enquanto traça retas nos ares.
 
As abelhas vem beijá-las e com as joaninhas enfeitam a Natureza .
É preciso ouví-las, olhar o seu zumbido misturado ao som do vento,
até chegarem em seus favos e depositarem o mel delicioso que oferecem.
Tudo é movimento   Uma folha treme ao meu lado.
O show da vida continua seu ciclo enquanto adentra a noite e amanhece a primavera
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.