Mensagens de Blog

Poetisa e Escritora

 

 

 


imagem do Google 14-10-2010
“LER É MAIS IMPORTANTE QUE ESTUDAR”, diz o escritor infantojuvenil, Ziraldo.

O dia13 de outubro é o “Dia Nacional da Leitura” no Brasil, proposta do Senador Cristóvão Buarque, aprovada recentemente.

No Programa de hoje da TV Senado, Buarque comentava em seu discurso, que no Brasil há 14 milhões de analfabetos, e no mundo são 800 milhões. Falava também de como é triste algumas pessoas não conseguirem emprego, por serem analfabetas e outras, por este mesmo motivo, não terem condições de viajar de ônibus. E que estes, são os verdadeiros “soterrados”.

Encontrei uma entrevista do conhecido escritor Ziraldo, com Roberto Braga, na Revista LER&CIA., de setembro e outubro de 2010, Edição 34, das Livrarias Curitiba e Livraria Catarinense, com o título: ”Ler é mais importante que estudar”.

Por considerar um tema e uma matéria interessante, resolvi tirar da mesma algumas idéias.
O autor do texto citado acima, começa-o assim:
A FRASE MAIS CONHECIDA DO ESCRITOR INFANTOJUVENIL ZIRALDO, EMBORA CONSIDERADA POLÊMICA POR ALGUNS, É SEU MOTE PARA AJUDAR A TRANSFORMAR O BRASIL EM UM PAÍS DE LEITORES.

Ziraldo se tornou famoso mundialmente quando há trinta anos passados escreveu a história de um garoto travesso, inspirado em tantas crianças. O sucesso foi tão grande que o livro “O Menino Maluquinho”, se tornou peça de teatro, quadrinhos, cinema e até ópera.
Ziraldo é mais que o pai do Menino Maluquinho. Ele, mineiro de Caratinga, uma cidade
de 80 000 habitantes, é o retrato de nossa literatura infantojuvenil, com histórias que valorizam a cultura brasileira e ilustrações inconfundíveis, sendo inspiração para novos escritores e ilustradores.

Ziraldo já recebeu o Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro e o Premio Internacional Hans Christian Andersen. Ele é também cartazista, jornalista, teatrólogo, chargista, caricaturista, escritor, humorista e pintor.
Nesta entrevista ele fala de sua paixão pelos livros e pela leitura e também sobre a sua carreira.

Ziraldo começa falando da importância que teve Monteiro Lobato como autor infantil.
Após Lobato, a literatura brasileira passou a ser valorizada. Depois, vieram outros nomes para reforçar isto, como Ruth Rocha, Ana Maria Machado e tantos outros.

O escritor cita que a literatura infanto juvenil em nosso país, está cada vez mais caprichada.

Continua com a afirmação de que, quando pequeno, todo mundo que sabia ler, lia.
Mas hoje, o hábito da leitura não está institucionalizado. E que isto é cultural, porque a história do Brasil não passa pelos livros. Nosso país não foi conquistado com o livro na mão e sim com machados e serras. O pessoal veio extrair, levar o que podia do Brasil, e não ensinar. Não foi como os Quakers nos Estados Unidos, por exemplo.
A história do livro no Brasil, tem 150 anos, antes disto consumíamos o que era impresso em Portugal.

Agora, com grande esforço, a escola já tem consciência de que a leitura é a base mais importante, que é o alicerce da Educação. Mas, que isto é um processo, porque muitas vezes a professora também não tem este hábito.
As crianças estão lendo mais hoje em dia, mas ainda não é um hábito, uma coisa natural. E isto precisa ser mudado.

Ziraldo começou com o hábito da leitura muito cedo, por volta dos 5 ou 6 anos de idade.
Se quisermos habituar as crianças à leitura, devemos desde muito cedo, fazer com que elas se familiarizem com livros.

Sobre o sucesso de O Menino Maluquinho, Ziraldo diz que na época quis escrever um livro diferenciado e por isto ficou um livro original. O leitor, criança ou adulto se identifica com as coisas que o personagem faz. As pessoas se vêem nas histórias.

Conta também o escritor que a literatura com graça e humor é bem mais aceita pelas crianças, que se interessam e absorvem de forma mais natural. Os pais devem ler para as crianças ainda no berço, para que as mesmas associem as histórias aos livros. Isto, já é praticado na Inglaterra há anos, lá que é um país educado pelo livro.

Ziraldo ainda diz que para criar suas histórias, se inspira em diversas situações que observa no dia a dia e também de sua época de infância.

“O Menino da Terra” é o livro que Ziraldo está lançando agora. O escritor também descobriu o prazer em pintar. Produziu várias telas.

Em relação à competição “Livro e internet”, Ziraldo cita o seguinte:

“Tem lugar para tudo na capacidade de criar do ser humano. Acho que as novas tecnologias não vão substituir inteiramente a base do espírito humano. O importante é que as crianças não passem direto para as tecnologias sem passar pela experiência de ler um livro, pois a palavra impressa é insubstituível. Por isso que digo sempre que ler é mais importante que estuda
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.