AMOR

Amor,

É noite e aos poucos

Vai morrendo o dia

E ao longe alguém caminha

Solitário dentro desta escuridão

Sou eu que vivo acordado

Dentro desta noite

A lhe esperar a tua volta

Meu grande amor.

 

Amor,

Silencio se faz presente

Agora nesta noite que

Esta se acabando,

Que aos poucos vai morrendo,

Sentindo agora um pouco

Da noite fui recordando tudo,

Os momentos nossos que

Foram vividos por nos dois,

Pensei em você e na esperança

De poder ver você surgir,

Apenas esperei o dia clarear

Para poder sentir você

Novamente perto de mim.

 

Comendador Marcus Rios

Poeta Iunense - Acadêmico -

Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas