AMOR

Amor,

Que te importa que eu sofra

Que interesse poderia ter os

Teus olhos se meu coração

Padece e que em meu peito

Apenas pouco a pouco vai

Crescendo a mágoa de querer

E não me querer.

 

Amor,

Dizes que me importa

Se em meu corpo apenas

Sinto que a noite passar vazia

Sem ao menos eu sentir

Que você esta perto de mim.

 

Amor,

Que te importa se em

Mim as chamas desta paixão

Que se faz presente em

Meu coração apenas seja

Somente a paixão que eu sinto

E que você nada sente por mim

E nunca me amou.

 

Nem você a bela donzela,

Que representa para mim

O meu ideal de se viver,

Não me ouves mais nas

Minhas confissões de amor

Que faço todo dia por você.

 

Amor,

Agora que você pressentiu

Nos meus olhos este lindo

Amor que tenho dentro de

Minha alma que sofre de amor,

Dizes apenas que de tua alma

Nunca saiu um grito que ecoou

Cheio de amor por mim

Nesta tua vida de amar.

 

Amor,

Pelo infinito que se faz

Presente a cada dia de nossa

Vida apenas grito aos ventos

Que te amo para que o eco

Apenas traga de volta este amor

Que eu tanto sinto por você.

 

Comendador Marcus Rios

Poeta Iunense - Acadêmico -

Membro Efetivo da Academia Iunense de Letras (AIL)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas