Mensagens de Blog

PRATA BABPEAPAZ

A casa dos espelhos

Na varanda, uma antiga cadeira de balanço esquecida.

No peitoril das janelas, restos de vasos de folhagens.

Trepadeiras cerradas cobrem as colunas,

com flores coloridas   misturadas as plantas selvagens.

Entrei devagarzinho para não pisar sentimentos.

A emoção tomou-me por inteiro, quando vi

girassóis e hortênsias sobre as mesas.

Tudo se reflete nos antigos espelhos de cristal,

Como lembranças esculpidas.

Um raio de luz teima em entrar pela vidraça.

Algumas obras de arte permanecem nas paredes brancas

 que outrora  foram pintadas com os tons e semitons

cromáticos das flores do jardim.

O quadro em sépia tem uma moldura que o esquadreja,

mas nele só aparece uma mancha

escura que realça mas não tem definição.

Algumas fotos antigas com carruagens,

Caçadores e belos cães, ali permanecem.  

Uma antiga escultura sobre um balcão,

Mostra que ali ficou abandonada

a silhueta da mulher amada,

Na sala grande soam músicas de uma orquestra.

Festas, taças, brindes,banquetes.

Em outra sala, casais dançam valsas.

 

No grande quarto empoeirado

O espelho continua trincado,

Como enorme estrela cheia de pontas,

que cortaram, feriram, e o som do estouro

inda permanece no ar.

Ao receber o sol pela clarabóia 

projetam-se estrelas menores coloridas

para todos os lados.

 Ao  olhar pela vidraça, vejo lá fora

árvores de aspecto sofrido cujos ramos admitem

a nostalgia de tempos extintos.

O vento forte carrega folhas secas

Que esbarram nas janelas.

Cá dentro passa um filme longa metragem.

Quando o sol começa a ir-se embora

As cores refletidas vão mudando.

No pátio vejo figuras toscas e escuras

lá para o lado do bosque.

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Belas Artes Belas.

Join Belas Artes Belas

Comentários

This reply was deleted.